Make your own free website on Tripod.com
XIX Copa do Mundo da FIFA - 2010
Alberto Gilardino
Home

alberto_gilardino_8.jpg

 
Alberto Gilardino (Biella, 5 de julho de 1982) é um futebolista italiano que atua como atacante. Atualmente, defende o Genoa.
 
Gilardino iniciou sua carreira no Piacenza, estreando profissionalmente com apenas dezessete anos, contra o Milan, em 6 de janeiro de 2000. Nessa temporada, disputou dezessete partidas, marcando três gols. Apesar disso, não teve como evitar o rebaixamento da equipe.
Gila, como é conhecido pela imprensa italiana e internacional, acabou se transferindo para o Hellas Verona, onde permaneceu por duas temporadas, marcando seis gols em quarenta e uma partidas.
 
Por conta de seu bom desempenho no Verona, apesar do baixo número de gols, foi contratado pelo Parma, a pedido de Cesare Prandelli, que o treinou nos Gialloblu. Em sua primeira temporada, acabou marcando apenas cinco gols em vinte e seis partidas. Na segunda temporada, Gilardino "engrenou", sendo o destaque da equipe ao lado do brasileiro Adriano, marcando vinte e seis gols em quarenta partidas. Pela Serie A, com seus vinte e três gols, acabou com a vice-artilharia. Por conta do seu desempenho, a diretoria do Parma acabou renovando seu contrato até junho de 2007. Na temporada seguinte, acabou repetindo o feito pela Serie A, sendo novamento vice-artilheiro.
 
Seu desempenho no Parma acabou chamando a atenção dos grandes clubes europeus. Então, em 15 de julho de 2005, acabou se transferindo para o Milan, que pagou 24 milhões de euros pelo seu passe. Em sua primeira temporada, não teve o mesmo desempenho do Parma, mas o suficiente para impressionar, por ser sua primeira temporada no clube. Apesar de não conseguir destaque nas partidas europeias, Gilardino foi um dos resposáveis pela vitória por 3 a 0 sobre o Manchester United nas semifinais da Liga dos Campeões. Na final, acabou sendo reserva, entrando nos dois minutos finais, substituindo Filippo Inzaghi (autor dos gols do título). No nacional, marcou apenas doze gols, mas sendo o artilheiro da equipe.
 
Após muitas especulações por conta de uma transferência, devido a não ser mais títular da equipe do Milan e desempenhar o seu brilhante futebol da época do Parma, em 25 de maio de 2008, o diretor esportivo da Fiorentina, Pantaleo Corvino, acabou anunciando a contratação do atacante, sendo três dias depois, confirmado oficialmente. A Viola pagou 15 milhões de euros, firmando um contrato de cinco anos. Sua estreia na Serie A, aconteceu contra a Juventus de Turim, onde também marcou seu primeiro tento no campeonato, mas não impediu o empate em 1 a 1. Apesar de não se destacar nas partidas europeias pelo Milan, na Fiorentina conseguiu. Na fase de grupos, marcou dois tentos contra o Lyon, mas o clube francês acabou reagindo e empatando (2 a 2). Ainda marcou mais três tentos na Liga, sendo um na pré-Liga. Na Serie A, anotou dezenove gols, sendo vinte e cinco no total pelo clube. Com isso, além de virar ídolo da torcida de Florença, foi um dos principais marcadores da temporada.
 
Após três anos e meio defendendo a Fiorentina, acertou sua transferência em 3 de janeiro de 2012 para o Genoa por 8 milhões de euros.
 
Gilardino esteve presente nas Olimpíadas de 2004, onde a Azzurra conquistou a medalha de bronze. No mesmo ano, também disputou o Campeonato Europeu Sub-21, sendo campeão e artilheiro do torneio. Com isso, virou o maior artilheiro da história da equipe sub-21 italiana, garantindo também, sua vaga na equipe principal.
Acabou sendo convocado para a disputa da Copa do Mundo de 2006, participando das duas primeiras partidas, marcando um gol contra os Estados Unidos. No torneio, ainda participou da partida nas semifinais contra a Alemanha, dando um passe para o gol de Alessandro Del Piero.
Em 17 de outubro de 2007, Gilardino assumiu a primeira vez a braçadeira de capitão da seleção, após Daniele De Rossi ser substituído durante a vitória da Itália sobre a África do Sul por 2 a 0. Acabou não sendo mais convocado por Roberto Donadoni, voltando apenas em 20 de agosto de 2008, contra a Áustria, primeira partida na volta de Marcello Lippi ao comando da equipe.
Enquanto Lippi esteve novamente no comando da seleção italiana, particiou das vergonhas campanhas na Copa das Confederações de 2009 e Copa do Mundo de 2010, onde, a então atual campeã do mundo, não conseguiu passar da fase de grupos. Gilardino, que disputou duas partidas em cada torneio, não marcou. Com Cesare Prandelli também continuou sendo convocado, sendo inclusive capitão numa partida.

Volta à página principal