Make your own free website on Tripod.com
XIX Copa do Mundo da FIFA - 2010
Robin Van Persie
Home

vanpersieholland.jpg

 
Robin Van Persie (Rotterdam, 6 de agosto de 1983) é um futebolista holandês que atua como atacante. Atualmente, joga pelo Arsenal.
Dono de um chute extremamente preciso e potente com a perna canhota, é o cobrador oficial do seu time e da sua seleção, pela qual marcou um gol de falta na Copa do Mundo 2006, contra a Costa do Marfim. Apesar da grande maioria dos seus chutes se originarem da perna esquerda, também possui um bom chute com a perna direita.
Chegou ao Arsenal em 2004 e, na época em que fazia parceria com Thierry Henry, atuava frequentemente como ponta-esquerda ou segundo atacante. Com a saída do francês, passou então a exercer a função de centroavante.
 
Se formou nas categorias de base do Excelsior, sendo contratado pelo Feyenoord ainda antes de se tornar profissional.
 
Quando chegou ao Feyenoord, foi considerado uma das maiores promessas do clube, nunca se tornou titular absoluto, porém, iniciou como titular a partida da final da Copa da UEFA, em 2002, tendo uma atuação destacável e levando seu time ao título da competição. A partir daí, chamou a atenção de Dick Advocaat, na época, técnico da seleção nacional e de grandes clubes europeus.
 
Em 2004, quando o Arsenal contratou Robin van Persie, o jogador ainda não era sequer titular absoluto do Feyenoord, ainda assim, não havia dúvida quanto ao real potencial deste jovem. A direção do Feyenoord sentiu-se prejudicada com o assédio sofrido pelo jogador, devido às diversas propostas do Arsenal durante as negociações, e moveu uma ação na justiça comum contra a equipe londrina. Por fim, o contrato acabou fechado após um acordo entre as partes.
Na sua primeira temporada no Arsenal, Van Persie foi principalmente usado como substituto. Já na segunda temporada, firmou-se na equipe titular, após ótimas atuações e belos gols. Nas últimas temporadas, vem sendo atrapalhado por seguidas contusões.
 
Na temporada 2008/2009, porém, conseguiu manter uma boa sequência de jogos e se firmou como um dos artilheiros da equipe, tanto na Premier League 2008/2009, como na Champions League 2008/2009.
Antes do início da temporada 2009/2010, com apenas um ano restante do seu contrato, Van Persie esteve em negociações durante vários meses com o Arsenal sobre uma renovação deste. Finalmente ela foi anunciada em julho, e ele assinou um novo contrato de longo prazo com seu clube. A saída de Emmanuel Adebayor também significou que o holandês agora era o principal atacante no sistema de 4–3–3 do técnico Arsène Wenger. Van Persie começou a temporada da Premier League com duas assistências logo no primeiro jogo, contra o Everton, e ajudou a equipe na goleada por 6 a 1. Marcou o primeiro gol na temporada na derrota de 4 a 2 em para o Manchester City, onde ele sofreu uma violenta falta cometida por Adebayor, seu ex-companheiro de clube. Ele então fez gols contra Olympiakos, Fulham, Blackburn Rovers, Birmingham City, West Ham United e Tottenham Hotspur. A excelente forma de Van Persie o levou a conquistar o prêmio de jogador do mês de outubro na Premier League. Porém, em 14 de novembro de 2009, atuando pela seleção, ele machucou o tornozelo em um amistoso contra a Itália e foi previsto inicialmente que ele ficaria em recuperação por seis semanas. Mais tarde, outros testes mostraram que a lesão foi muito mais grave do que se pensava, e Van Persie ficou fora por cinco meses, retornando aos gramados às vésperas da Copa do Mundo 2010. Retornou algum tempo antes do esperado, em 14 de abril de 2010, na derrota por 2 a 1 para o Tottenham Hotspur. Finalizou a temporada com um total de 10 gols em 20 jogos.
Antes do início da temporada 2010/2011, após retornar da Copa do Mundo da África do Sul, onde a Holanda foi vice-campeã, Van Persie mudou o seu número de camisa no Arsenal, passando a ser agora o dono da prestigiada camisa 10, que pertencia a William Gallas, que havia se transferido. Logo nas primeiras rodadas da temporada, sofreu mais uma lesão, novamente no tornozelo, e perdeu várias rodadas, retornando em novembro. Desde o seu retorno, vem se apresentando em grande forma e marcando vários gols, incluindo um hat-trick contra o Wigan Athletic e dois gols contra o Newcastle, num emocionanete empate por 4 a 4. Numa das rodadas recentes da Premier League 2010/2011, marcou mais dois gols contra o Wolverhampton, chegando a marca de dez gols marcados na liga num período de pouco mais de um mês, entre 1º de janeiro e 12 de fevereiro. Em 10 de abril, chegou ao seu 60° gol pela Premier League, na vitória por 3 a 1 sobre o Blackpool.
No dia 24 de Setembro de 2011, na partida contra o Bolton marcou 2 gols, chegando a marca de 100 gols em 238 jogos com a camisa do Arsenal (média de 0,42 gols por partida), com esse feito o camisa 10 do time londrino tornou-se o 17º jogador na história do time a atingir a marca de 100 gols.
 
Pela seleção nacional, Van Persie começou nas categorias de base, sendo convocaçado em algumas oportunidades para o sub-21.
 
Apesar de não ser um jogador regular para o Arsenal, Van Persie fez parte da convocação do treinador Marco van Basten para a Copa do Mundo de 2006. Ele jogou em todos os quatro jogos da Holanda e marcou o único gol na fase de grupos contra a Costa do Marfim. Os holandeses viriam a terminar a Copa do Mundo de forma frustrante, sendo eliminados logo nas oitavas-de-final, contra Portugal, comandada por Luiz Felipe Scolari, que foi semifinalista do torneio.
 
Van Persie marcou quatro gols na qualificação da Euro 2008 e atuou junto ao atacante Ruud van Nistelrooy durante o torneio, após van Basten optar alterar a formação tática para um 4-2-3-1.

Como Wesley Sneijder e Rafael van der Vaart foram preferidos ao meio-de-campo, Van Persie foi deixado à batalha com Arjen Robben para a esquerda. Em 13 de junho, foi substituido aos 55 minutos em uma vitória de 4 a 1 do grupo C sobre a França e começou o próximo jogo contra a Romênia, onde marcou um gol aos 87 minutos, após passe de Demy de Zeeuw. Van Persie terminou a primeira fase com dois gols marcados, e a Holanda se classificou com 100% de aproveitamento.
 
Na segunda fase, os holandeses foram mais uma vez eliminados precocemente, após a derrota por 3 a 1 para a Rússia, comandada por Andrey Arshavin (que depois viria a se tornar companheiro de Van Persie no Arsenal), logo nas quartas-de-final. A Rússia foi eliminada no jogo seguinte, ao ser derrotada por 3 a 0 pela Espanha, e os espanhóis se tornaram campeões do torneio, vencendo por 1 a 0 a final contra a Alemanha.
 
Após a Euro, Van Persie marcou nos amistosos contra a Rússia e a Suécia. Marcou ainda de cabeça num jogo contra a Escócia, pelas eliminatórias europeias para a Copa do Mundo 2010, o que criou um debate se ele deveria ser o cobrador de escanteios ou ficar na área para tentar convertê-los. Em 14 de novembro de 2009, num empate sem gols contra a Itália, sofreu uma grave lesão no tornozelo, e foi substituído no início do segundo tempo. Esta lesão colocou em risco até sua participação na Copa do Mundo, mas os médicos já declararam que o tempo de recuperação não deve ser tão grande, e Van Persie deve ficar fora por cerca de cinco meses.

Foi confirmado na lista do técnico Bert van Marwijk para a Copa do Mundo de 2010. No esquema de van Marwijk, van Persie atuou numa função diferente da que estava acostumado a atuar no Arsenal, já que o treinador o escalou como centroavante. Em seu retorno à seleção após vários meses machucado, van Persie marcou os dois gols da vitória por 2 a 1 sobre o México, em um amistoso preparatório para o torneio.

Na Copa do Mundo, van Persie marcou apenas um gol, contra Camarões na fase de grupos. A oranje classificou-se tranquilamente para a segunda fase, vencendo os três jogos. Nas quartas-de-final, van Persie participou da vitória de virada sobre a Seleção Brasileira. Porém, não pôde evitar a derrota na final contra a Espanha, após um gol de Andrés Iniesta aos 116 minutos de jogo.
 
Durante as eliminatórias para a Euro 2012, esteve constantemente disputando vaga de titular com Klaas-Jan Huntelaar. A Holanda vem fazendo uma expressiva campanha e com 100% de aproveitamento. Em 2 de setembro de 2011, Van Persie foi o autor de quatro gols na sonora goleada por 11 a 0 sobre a fraca seleção de San Marino, que praticamente garantiu os holandeses no torneio do ano seguinte. Com esta marca, ele entrou para o ranking dos 10 maiores artilheiros da "Laranja Mecânica", com 25 gols, superando Marco van Basten.

Volta à página principal